quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Esclareça suas dúvidas sobre sacolas plásticas

O jornal Diário de S.Paulo publicou hoje uma esclarecedora matéria sobre o fim das sacolas plásticas no comércio de São Paulo. Para quem não está acompanhando o assunto, vale lembrar que as sacolas não foram proibidas por lei, o que existe é um acordo voluntário dos supermercadistas, para que deixem de oferecer as sacolinhas aos clientes à partir de 25 de janeiro.
Veja as questões abaixo, e dê sua opinião!

DIREITO ÀS SACOLINHAS
Os supermercadistas de todo o país gastam por ano R$ 500 milhões com a compra das sacolas plásticas. Esse custo está embutido no preço dos produtos e, portanto, os consumidores têm direito as sacolinhas.

PREJUÍZO AO CONSUMIDOR
Sem a distribuição das sacolinhas, os consumidores serão obrigados a pagar de R$ 0,19 a R$ 0,25 por sacolinha biodegradável e terão de comprar saco de lixo, pois não vão mais usar as sacolas tradicionais para esse fim.

SACOLA PLÁSTICA POLUI?
A sacola plástica representa 0,2% do resíduo sólido urbano coletado no país. Esse percentual não pode ser considerado um agente poluidor.

A SACOLA REUTILIZÁVEL, É UMA ALTERNATIVA?
Também não! As sacolas não são produzidas no Brasil. São importadas do Vietnã, China e Taiwan, onde a mão de obra é de baixo custo para as empresas.

QUAIS AS VANTAGENS DA SUBSTITUIÇÃO DAS SACOLAS?
Nenhuma, a indústria de plástico flexível vai perder 30 mil postos de trabalho em todo o país, 6 mil só no estado de São Paulo.

SACOLA BIODEGRADÁVEL É A SOLUÇÃO?

Não, por três motivos: primeiro porque a matéria-prima para produzir a biodegradável é importada e o que chega ao Brasil não é suficiente para atender a demanda de sacolinhas. Segundo porque a sacola biodegradável só se decompõe em usina de compostagem, que não existe no Brasil, e terceiro porque o material utilizado nas biodegradáveis não pode ser reciclado.

Fonte: Abief (Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis) e Plastivida (Instituto Socioambiental dos Plásticos).

5 comentários:

  1. Enquanto isso, toda uma mídia tentando dizer que a medida é ecológica. Enojado e revoltado com esses cretinos que se utilizam de um tema sério, ambiental, com tamanha leviandade. Muitos coitados, sem saber a real dimensão, acham que é uma importante medida ecológica.

    ResponderExcluir
  2. Será proíbida também em outros comércios tipo: padarias, materiais de construção, farmácias?

    ResponderExcluir
  3. Na verdade as sacolas plásticas não foram proibidas, o que aconteceu foi um acordo dos supermercadistas e o Governo para não distribuirem. As padarias, farmácias e demais comércios não firmaram acordo... mas alguns não oferecem. Vale lembrar que as sacolas são um direito do consumidor, então, exija.

    ResponderExcluir
  4. Informação emitida pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos revela que aproximadamente se consomem a cada ano, ao redor do mundo, entre 500 bilhões e um trilhão de sacolas plásticas. Menos de 1% dessas sacolas são recicladas. "É mais caro reciclar uma sacola plástica do que produzir uma nova", segundo a pesquisa feita. Mas então, aonde vão parar todas essas sacolas plásticas? Um estudo de 1975 demonstrou que as embarcações trans-oceânicas descartam em conjunto 8 milhões de libras de plástico ao mar a cada ano ( 3.628.720 Kgs). A razão pela qual os lixões do mundo não estão inundados de plástico era porque em sua maioria terminava nos oceanos. As sacolas encontram seu caminho para os mares pelo desaguar dos esgotos e galerias das cidades. As sacolas Plásticas se fotodegradam com o passar do tempo e se decompõem em petro-polímeros mais pequenos e tóxicos, que finalmente contaminarão os solos e as vias fluviais. Cerca de 200 diferentes espécies de vida marinha, incluindo baleias, golfinhos, focas e tartarugas morrem por causa das sacolas plásticas. A maioria por ingerir as sacolas que confudem com alimento. Então, o que nós vamos fazer? A partir do dia 25 de janeiro no Estado de São Paulo e em vários outros lugares no Brasil, será proibido a entrega de sacolas plásticas nos comércios, em troca poderemos usar as sacolas retornavél , feito de tecido ou outros materiais, como até mesmo o plástico reciclado. A meta é que em 1 ano, o Brasil economize 833.817.600.000 sacolas. Em vários outros lugares no mundo, essa medida já foi tomada, e o resultado foi muito possitivo. As sacolas Plásticas são feitas de polietileno: Um termoplástico que se obtém a partir do petróleo. Reduzindo as sacolas plásticas se diminuirá a dependência das reservas do petróleo mundial. Só a China economizará 37 milhões de barris de petróleo cada ano graças a proibição de sacolas gratuitas.

    RECICLAR É RESPEITAR A VIDA!

    ResponderExcluir
  5. A maior questão deveria ser:
    O que eu posso fazer para melhorar a vida no planeta?
    As sacolinhas plásticas realmente não poluem tanto, se comparar por exemplo com garrafas pets, que além de poluir o meio ambiente , elas também entopem bueiros causando enchentes ou pequenos alagamentos. Entretanto, se realmente com o fim das sacolas plásticas teremos um progresso em relação ao meio ambiente, mesmo que seja pouco, então vale a pena. O que seria melhor, era de fazer coletas de lixos seletivo nas residências e achar meios de dar um fim neste lixo sem poluir mais ainda o meio ambiente.
    O fato de que a poluição de sacolinhas plásticas se remete a apenas 0,2% do total, não quer dizer que elas são menos ofensivas ao meio em que vivemos. Parabéns a proibição. E que venha mais, como por exemplo garrafas Pets.
    Clovis

    ResponderExcluir