segunda-feira, 13 de julho de 2015

Posicionamento da Abief sobre a questão das sacolas plásticas na cidade de São Paulo

O PROGRAMA DE COLETA SELETIVA DA PREFEITURA DE SÃO PAULO SERIAMENTE AMEAÇADO
O programa da prefeitura de São Paulo, que promove a coleta seletiva, está seriamente ameaçado pelo acordo da Associação Paulista dos Supermercados (Apas) e o Procon-SP, pela cobrança das sacolas plásticas no município paulista.
A inteligente ideia da prefeitura de São Paulo de promover a reutilização das sacolas plásticas como sendo um veículo adequado para a destinação correta dos resíduos e com isso engajar a população na ação da separação dos resíduos é posta em cheque pela ganancia dos supermercados, aliada uma atitude incompreensiva do Procon-SP.
O Procon-SP, órgão de defesa do consumidor, contraria posições que defendem a gratuidade das sacolinhas, manifestadas pelo Procon Nacional e Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) e, mais uma vez deixa de ouvir todas as partes interessadas neste acordo, ao contemplar somente o interesse dos supermercados.
Com o desemprego crescendo, inflação subindo, com incertezas, de toda ordem pairando sobre a população, o Procon de São Paulo impinge uma absurda transferência de renda do consumidor para os supermercados.
Distribuídas gratuitamente e utilizadas para fins de coleta seletiva, as sacolas plásticas se tornam agentes de um processo que beneficia a população e o meio ambiente. Sem a gratuidade, o único beneficiado é o supermercado. 
Como se não bastasse inutilizar o plano de coleta seletiva da prefeitura e onerar o consumidor, a decisão pelo a fim da distribuição gratuita das sacolinhas plásticas nos supermercados ameaça diretamente 30 mil empregos no estado de São Paulo – 14 mil só na Capital -, e indiretamente outros 100 mil (indústrias de máquinas, de pigmentos, de impressão de sacolas plásticas e outros).
Não há razão para cobrança das sacolinhas, exceto o desejo de aumentar o lucro dos supermercados. Não podemos concordar om o ônus ao consumidor e a sabotagem à política de reciclagem de lixo estabelecida pelo governo Municipal.

 


Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis (Abief)

terça-feira, 30 de junho de 2015

Ursinhos de sacolas plásticas estão sendo vendidos em escala comercial em Imperatriz no Maranhão.


O jornal O Estado do Maranhão publicou hoje(30) matéria sobre reutilização de sacolinhas plásticas.
A invenção é do artesão César Simão Gonçalvez Júnior, de 26 anos, que comercializa ursinhos feitos de sacolas plásticas. A sua vantagem, além da reutilização, é não causar alergia em quem os manipula.
A média de produção diária é de 30 peças, podendo custar entre R$5,00 e R$20,00 reais.


-


O Recicle Ideias apoia essa e toda forma de reutilização e reciclagem de materiais plásticos. Os plásticos são 100% recicláveis e fazem parte do nosso dia a dia. Usando corretamente e fazendo o descarte correto você ajuda o meio ambiente!

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Cobrança de sacolas plásticas inviabiliza coleta seletiva

Confira artigo de Miguel Bahiense, presidente da Plastivida Instituto Sócio-Ambiental dos Plásticos, sobre a cobrança das sacolas plásticas na cidade de São Paulo. 



segunda-feira, 8 de junho de 2015

"Fui comprar um sanduíche e um refri. O atendente não quis me dar sacola plástica e ganhei um saco de papel imenso". A lanchonete é de Guarulhos, cidade que tem lei para a distribuição  de sacolinhas dentro de norma técnica, e está se valendo da lei da cidade de São Paulo, que nem está em vigor ainda. Papelão!!

Sacolinha plástica é mais sustentável que saco de papel, e ainda pode ser reutilizada, mesmo quando molhada. Veja estudo: http://goo.gl/Mu6we3




terça-feira, 2 de junho de 2015

Semana do Meio Ambiente

Mais de 700 crianças participam de oficinas e palestras sobre a imagem e reutilização dos plásticos, educação ambiental e coleta seletiva em Belo Horizonte

A iniciativa da Plastivida, Inova BH e prefeitura de Belo Horizonte promove palestras sobre a sustentabilidade dos plásticos, suas aplicações, uso consciente e descarte correto, além de oficinas de reciclagem

   

Com o objetivo de promover a imagem dos plásticos, a educação ambiental e contribuir para as boas práticas de consumo, descarte, reutilização e reciclagem em Belo Horizonte, a Prefeitura de Belo Horizonte, a Plastivida Instituto Sócio-Ambiental dos Plásticos e a Inova BH firmaram uma parceria que vai promover uma série de ações. A primeira delas está sendo realizada na Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Solar Rubi, até o dia 3 de junho, em comemoração à Semana do Meio Ambiente.

Em três dias de atividades (de 1 a 3 de junho) mais de 700 crianças a regional Barreiro (BH) assistiram palestras sobre as propriedades dos plásticos, suas aplicações, sua contribuição na vida das pessoas, o funcionamento do processo de reciclagem, além participarem de diversas oficinas, como artesanato com materiais reutilizáveis, gerenciamento de resíduos, uso consciente de recursos, entre outras.

Segundo Miguel Bahiense, presidente da Plastivida, entidade que coordena esse projeto, ações que envolvem a população em questões como as boas práticas de consumo, a redução do desperdício, a reutilização e a importância da coleta seletiva e da reciclagem fazem com que esses hábitos se tornem perenes. “Nossa experiência em promover os benefícios dos plásticos, as informações corretas e científicas sobre as qualidades do produto e sobre como ele pode atuar de forma harmoniosa com a preservação do meio ambiente mostra que essas questões passam a fazer parte do dia a dia das pessoas”, afirma Bahiense.

Esse tipo de informação quando levada às comunidades traz benefícios além dos ambientais, como economia, possibilidade de geração de renda, melhor gestão dos resíduos sólidos urbanos, menos acúmulo de lixo, mais saúde e bem estar. “O papel da escola tem sido o de catalisadora de ações que podem ser ampliadas para o benefício das crianças, de suas famílias e da comunidade como um todo e essa iniciativa ilustra bem isso”, afirma Jaqueline Vilaça, vice-diretora da Solar Rubi.

Fazer a diferença no ambiente em que se insere é um dos propósitos da Inova BH, que tem parceria com a prefeitura de Belo Horizonte na operação de escolas da rede pública. “Esse trabalho que se inicia em Solar Rubi é um exemplo do que vislumbramos nesta, que é a primeira PPP voltada para a educação”, afirma Christini Kubo, diretora de Investimentos da Inova BH.

A prefeitura de Belo Horizonte também participa dessa parceria e estará presente em ações que virão, como a coleta de materiais recicláveis, o apoio na capacitação de professores da rede pública de ensino municipal para serem agentes multiplicadores das informações sustentáveis, assim como para atuarem junto às crianças e à comunidade nas oficinas de reciclagem com o envolvimento de alunos e da comunidade.

Ainda segundo Miguel Bahiense, Belo Horizonte sai na frente com essa iniciativa, que pode e deve se tornar um modelo para outros municípios. “O engajamento de todos, desde a população, passando pela iniciativa privada e governo, pode potencializar ações consistentes de responsabilidade socioambiental, trazendo benefícios duradouros para todos”, completa o executivo.


Informações à imprensa:
M.Free Comunicação
Contato: (11) 3171-2024
Roberta Provatti, Marcio Freitas